SEGUIDORES

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Acordo Ortográfico: guia luso-brasileiro e Amarante

A. Novo guia
Considerando o número de internautas do Brasil que por aqui passam, está prevista a construção de um guia que tenha em conta a especificidade do português do Brasil. Ou será feita uma adaptação do Guia Expresso para a Mudança (disponível para download na banda lateral direita do blogue), que, de momento, apenas descreve as alterações para o português europeu, ou será criado o Guia Expresso para a Mudança - norma brasileira.
Tendo em conta a morosidade da tarefa, sobretudo pelas duplas grafias para a norma brasileira (o triplo das que estão listadas para a luso-africana), será difícil concluí-la antes Páscoa. Basta continuar a visitar o blogue para ter acesso ao documento assim que ele for publicado.
Um abraço para toda a comunidade lusófona!

B. Amarante
O meu agradecimento pela forma calorosa como me receberam no Colégio de S. Gonçalo. Para qualquer dúvida ou troca de ideias, basta enviar um email para professor.ap@gmail.com. Os doces conventuais com que me presentearam no final do nosso seminário empurram-me, de forma incontornável, para o pecado da gula. Mesmo sendo o colesterol forte, como a carne é fresca, pequei... uma vez, outra, e mais outra e outra ainda...
Ao vosso dispor,
AP

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Um superaperitivo: fácil, económico, saboroso e… ecológico! (atualizado)

Reformulação da receita publicada na mensagem anterior
Em vez de pôr sal antes, ponha-o nas tiras depois de fritas. Em vez de sal, pode pôr uma pitadinha de flor de sal e, para quem aprecie, uma pimenta preta moída no momento também não fica mal (sugestão de um internauta).
Bom apetite!
AP

domingo, 22 de janeiro de 2012

Receita 6: Um superaperitivo fácil, económico, saboroso e… ecológico!

Na sexta-feira passada fui experimentar um novo restaurante em Setúbal. Gostei do espaço e da relação qualidade-preço. No entanto, o que mais me marcou foi uma das entradas. Com o palato deliciado pelo sabor estaladiço, descobri ao fim de cerca de 30 segundo do que se tratava. Era…

  Casca de batata de frita (e muito estaladiça!)
Não sei como a fazem no restaurante, mas resolvi improvisar e fui para a cozinha. Aqui fica o resultado.

 Ingredientes:
. casca de batata (de uma batata média por pessoa)
. sal
. azeite para fritar

 Preparação:
1. Num dia em que vá utilizar batatas no prato principal, lave-as muito bem e, com um descascador, corte as tiras.
2. Disponha as tiras numa travessa e salpique-as com uma pitada de sal e deixe ficar durante 10 minutos.
3. Terminados os 10 minutos, passe as cascas por água e seque-as com papel de cozinha.
4. Frite-as em azeite bem quente até ficarem estaladiças (mas sem queimar).
5. Tire-as da frigideira e escorra-as em papel de cozinha.
6. Sirva-as bem quentinhas! Se tudo tiver corrido bem, vão ser “quentinhas e boas”!
Sugestão: Regue com uma cerveja bem fresca ou um tinto velho.

Bom apetite!
AP
Nota: Para ter acesso a todas as receitas publicadas, basta clicar na etiqueta "Receitas" (disponível mesmo no final desta mensagem).

 Recordo que iniciámos ontem a publicação de curtas animações no Youtube com o título "Acordo Ortográfico para todos". A sessão 1 centra-se na introdução no alfabeto das letras k, w e y. Clique AQUI e espero que seja útil!

sábado, 21 de janeiro de 2012

Acordo Ortográfico: não perca as sessões no Youtube!

Iniciamos hoje a publicação, numa perspetiva mais lúdica, de curtas animações no Youtube com o título "Acordo Ortográfico para todos". A sessão 1 centra-se na introdução no alfabeto das letras k, w e y. Clique AQUI e espero que seja útil!

Caros amigos:
Agradeço o apoio dado na votação no apuramento para a fase final do "Blog de 2011". No entanto, os 101 votos foram insuficientes e deixaram-nos a 4 de distância do lugar que nos teria dado o apuramento: o 5º. Continuarei, com o ânimo de sempre, a trazer-vos informações, materiais, ideias e... receitinhas práticas e saborosas. Hoje ainda, vou deixar aqui um aperitivo original que descobri num restaurante de Setúbal. ;)
Classificação final:

                              Educação
  1. Professores Lusos 17.13% (234 votes)
  2. Blog DeAr Lindo 13.62% (186 votes)
  3. Anabela Magalhães 7.69% (105 votes)
  4. Demo Crato 4.98% (68 votes)
  5. O estado da educação e do resto 2.12% (29 votes)
  6. outrÒÓlhar 1.98% (27 votes)
  7. Ensino Básico 1.46% (20 votes)
  8. é @ nossa escolinha [.pt] 0.95% (13 votes)

Novo Acordo: O cor-de-rosa e o cor de laranja

Gosta do blogue? Então, apoie-o na votação disponível no blogue Aventar (categoria Educação). Clique aqui e vote. Termina hoje a votação. Obrigado ;)

Lendo o texto do Novo Acordo, parece que claro que cor de laranja é sem hífenes e cor-de-rosa com (por ser considerada uma exceção consagrada pelo uso). Quando consultamos os dicionários, eis o que encontramos:
a) cor-de-rosa (Priberam);
b) cor de rosa (Porto Editora);
c) cor-de-rosa e cor de rosa (VOP, no Portal da Língua Portuguesa).
O imbróglio não é recente, havendo na Convenção Ortográfica de 1945 referência ao cor-de-rosa (aí considerada um composto e não uma locução).
A explicação dada por Gonçalves Rebelo é pouco convincente, como pode verificar na excelente resposta dada pelo Ciberdúvidas em junho passado a um consulente. Vale a pena ler o texto AQUI.
OPINIÃO: Considerando o que está no texto do Acordo, parece-me que, enquanto não houver ajustamentos nas regras (que, mais tarde ou mais cedo, terão mesmo de ser feitos!), devemos escrever cor-de-rosa.
Bom fim de semana para todos!
AP

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Receita 5: Bacalhau acoentrado com batatas com orégãos 5+5...


Gosta do blogue? Então, apoie-o na votação disponível no blogue Aventar (categoria Educação). Clique aqui e vote. Obrigado ;)


.
Mais alimento para o corpo e ânimo para a alma. Para um firme adepto da slow food, seria pouco provável a proposta gastronómica de hoje. Não pelos ingredientes, que são excelentes, mas pelo meio que aconselho para a confecionar: o micro-ondas! Não diga que não já à partida. Experimente e diga-me o que achou. Já sente o cheirinho fresco dos coentros e a nota de natureza selvagem dos orégãos? Prà cozinha, já!

 Bacalhau (deliciosamente) acoentrado com batatas com orégãos  

 Ingredientes:
.1 posta de bacalhau (congelado ou demolhado)
. sal, pimenta preta moída no momento e azeite
. coentros frescos

Preparação:
A - O bacalhau
1. No fundo de um pirex com tampa, disponha alguns ramos de coentros, pondo-lhe em cima uma posta de bacalhau.
2. Sobre a posta, coloque coentros picados, sal (muito pouco ou pode mesmo não pôr), pimenta preta moída no momento e regue com azeite.
3. Repita o procedimento para cada posta que vai cozinhar.
4. Tape o pirex e leve ao micro-ondas durante 5 minutos, na potência máxima.
5. Passado o tempo, agite o pirex e ponha mais 5 minutos na potência máxima. Está explicado o 5+5 e… está pronto o bacalhauzinho!

B – As batatas
1. Descasce as batatas (uma por pessoa, tamanho médio) e corte-as em palitos grossos (espessura de um dedo).
2. Ponha num pirex, tempere com uma pitada de sal (pouquinho) e orégãos, junte uma colher de sopa de água por cada batata e envolva as batatas.
3. Tape o pirex e leve ao micro-ondas durante 5 minutos, na potência máxima.
4. Passado o tempo, agite o pirex e ponha mais 5 minutos na potência máxima. Está explicado o segundo 5+5 e… estão prontas as batatinhas!

Sugestões para servir este prato:
. Sirva com um tinto (o Encostas de Azeitão tem uma excelente relação qualidade-preço).
. Para a sobremesa algo bem tradicional: um arroz doce ou um leite creme queimado (uma perdição!).
Como nas receitas anteriores, deixe-se levar pela sua imaginação...
Bom apetite!
AP
Nota: Para ter acesso a todas as receitas publicadas, basta clicar na etiqueta "Receitas" (disponível mesmo no final desta mensagem).

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Dicas práticas para o hífen!

Hífen ou traço de união ( - )
Praticamente ignorado pelos gramáticos anteriores ao século XIX, o hífen tranformou-se num sério bico de obra, uma verdadeira maldição da língua portuguesa! O Novo Acordo simplificou um pouco os procedimentos a aplicar, mas a dificuldade mantém-se. Aqui ficam algumas dicas/regras que podem ajudar:
– Em caso de dúvida, não ponha hífen. As hipóteses de errar são menores.
– Use hífen:
a) quando a letra final do prefixo se vir ao espelho (ou seja, for igual à que inicia o 2º elemento): micro-ondas, inter-regional, sub-bibliotecário, circum-murar. Exceção: co (coorganizar); (Excetuando a exceção, o essencial da regra é anterior ao AO)
b) antes de h (sempre!): anti-higiénico; super-homem, auto-hipnose, infra-humano.  (Já era assim antes do AO)
Nota: usando hífen apenas nestas situações, as probabilidades de fazer a escolha acertada serão superiores a 95%.
- No caso das formas verbais, deixo-lhe a dica que aprendi com o meu professor de Português de… há mais de 40 anos! Ponha mentalmente a forma verbal na negativa. Havendo alguma parte que mude de sítio, há hífen a ligá-la ao verbo; se nada mexer, não há hífen. Exemplos:

Ele levanta-se cedo! Negativa: Ele nunca se levanta cedo!
Os livros? Dá-mos agora! Negativa: Os livros? Não mos dês agora!
Como o se e o mos mudaram de sítio, tem de haver hífen.

-se muito? Era bom que se lesse mais. Negativa: Não se lê muito? Era bom que não se lesse mais. No segundo verbo (lesse), não houve partículas a mudar de sítio, pelo que não devemos usar o hífen.
Rentabilidade desta dica: ELEVADÍSSIMA!
Boa hifenização para todos!
AP

domingo, 15 de janeiro de 2012

Receita 4: Farinheira no forno com couve galega estufada com azeite e alho

Gosta do blogue? Então, apoie-o na votação disponível no blogue Aventar (categoria Educação). Clique aqui e vote. Obrigado ;)

Alimente o corpo e espevite a alma, com mais uma proposta gastronómica (como sempre, testada e avaliada pela família). Desta vez, trata-se de um petisco-refeição económico e muito fácil de confecionar.

Farinheira no forno com couve galega estufada em azeite e alho

Ingredientes:
.1 farinheira certificada de qualquer região do país.
. sal, pimenta preta moída no momento e azeite
. 4 dentes de alho
Preparação:
A - O estufado de couve
1. Numa caçarola com tampa, ponha os alhos esmagados em papa no azeite durante um minuto, mexendo sempre.
2. Junte a couve cortada muito finamente como se fosse para caldo verde. Ponha uma pitada de sal e pimenta a gosto moída no momento.
3. Junte água (muito pouca), mexa, tape a caçarola.
4. Deixe estufar em lume mínimo e vá mexendo de 3 em 3 minutos. Sendo necessário, junte mais água.
5. Dependendo de gostar da couve mais ou menos al dente, estará pronta em cerca de 20 minutos.

B - A farinheira
1. Num pirex destapado, leva a farinheira ao forno (potência média) durante 20 a 25 minutos em função de a querer mais ou menos tostada. 
Sugestões para servir este prato:
. Sirva com um vinho tinto não muito áspero (um Dão será uma boa opção).
. Para a sobremesa algo simples mas vistoso: uma laranja cortada às rodelas. Sobre cada rodela ponha uma pitada de canela e uma folha de hortelã. Se a laranja for ácida, um fiozinho de mel sobre a rodela fará um milagre! 
. E tudo o que a sua imaginação ditar será bem-vindo...
Bom apetite!
AP

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Os meses do ano continuam a ser nomes próprios?

O caso das palavras que passam a escrever-se obrigatoriamente (como os meses e as estações do ano) ou opcionalmente (como os nomes das disciplinas ou as formas de tratamento) com maiúscula ou minúscula levanta, para muitas pessoas, a dúvida: tratando-se de um acordo ortográfico (que supostamente apenas alteraria a ortografia), as palavras que passaram a ser escritas com minúscula continuam a fazer parte da classe de palavras dos nomes próprios (antigos substantivos próprios)?
Todas as palavras que (por opção ou obrigação) forem escritas com minúscula passam para a classe dos nomes comuns. Garantidamente!
Transcrevo, com a devida vénia, uma pergunta endereçada ao Ciberdúvidas sobre o assunto e a respetiva resposta:
“[Pergunta] Segundo as normas do novo Acordo Ortográfico, os nomes das disciplinas e dos meses do ano passam a escrever-se com minúscula. Passarão a classificar-se como nomes comuns, ou manterão a classificação de nomes próprios? Obrigada. Maria Vaz :: Professora :: Lisboa, Portugal

[Resposta] Considera-se que passam a ser classificados como nomes comuns, tal como acontece com os nomes dos dias da semana. Note-se, contudo, que o novo Acordo Ortográfico é omisso sobre esta questão, como aliás apontam uma resposta do Ciberdúvidas (ver Textos Relacionados) e um comentário disponível numa página da Porto Editora. Carlos Rocha :: 06/10/2011” In http://www.ciberduvidas.com/pergunta.php?id=29987 (acedido em 9.1.2012)

Boas maiúsculas e minúsculas para todos!
AP

domingo, 8 de janeiro de 2012

NOVO ACORDO - As duplas grafias mais uma vez...

Boa noite a todos!
Verifiquei que havia lapsos na lista das duplas grafias para Portugal, África lusófona e Timor-Leste. Entre outras pequenas anomaliaas, uma palavra a mais e duas a menos. Depois de uma revisão à lupa, está tudo em ordem! Fazendo fé nas extensas listas do Vocabulário da Mudança (Portal da Língua Portuguesa), são 233 casos de dupla grafia. A maior parte das palavras são pouco conhecidas e de uso improvável. Ainda assim, poderá será útil ter a lista sempre à mão.
Boa escrita e bom resto de domingo deste fim de semana em cheio para os benfiquistas (grupo de que faço parte)... ;)
Para ter acesso à lista, clique AQUI!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Novo Acordo: o caso de pêra/peras e pêro/peros

Recorrendo a uma questão apresentada no seminário realizado em Mafra em 22.12.11, aqui fica a partilha de um esclarecimento:
1) As palavras pero e pera perdem o acento com o Novo Acordo, uma vez que desaparece a maior parte dos dos acentos distintivos. Exceções:
Para todo o espaço da lusofonia - pôr/por e pôde/pode;
Para Portugal e África lusófona/Timor-Leste - dêmos/demos e andámos/andamos (aplicável a todos os verbos da 1ª conjução).
2) Quanto aos plurais peros e peras, já não levavam acento.